Não deixe para amanhã...

Não deixe para amanhã...

Por Anderson Albuquerque


“Treine enquanto eles dormem, estude enquanto eles se divertem, persista enquanto eles descansam, e então, viva o que eles sonham.”  O provérbio é japonês, mas o ensinamento é universal.

Muitos brasileiros acham que trabalhar oito horas por dia é um sacrifício, um mal necessário. O famoso ¨jeitinho brasileiro” é usado também nas empresas – o chamado “funcionário gerúndio” é a personificação do “amanhã eu faço”.

Ele é, na verdade, um procrastinador – está sempre fazendo, vendo, checando, analisando – mas entregar o resultado que é bom, nada. Longe de ser um problema de caráter, acredito que a procrastinação, o ócio, o desleixo, a falta de responsabilidade seja um problema cultural. Não foi à toa que o Japão se tornou a superpotência que é. Não é sorte, é trabalho.

Como um país minúsculo, onde há um inverno rigoroso, onde não há petróleo nem pedras preciosas e enfrenta os mais devastadores fenômenos da natureza pode ser um exemplo para o mundo? A resposta, mais uma vez, reside na palavra trabalho.

Os japoneses são conhecidos mundialmente pela sua incansável dedicação ao ofício. Seria preciso uma mudança de paradigma no Brasil para que isto acontecesse. Seria preciso que os funcionários passassem a enxergar no trabalho não um meio de sobrevivência, de ter como pagar as contas no fim do mês, e passassem a ver que cada um de nós nasceu com um propósito a ser realizado.

Não só podemos como devemos ter sonhos. Toda ação partiu de um plano, de um sonho. Sonhar não é um problema. O problema é esperar que o sonho caia do céu, ficar sentado no sofá, de braços cruzados, enquanto o trem está passando, junto com a vida. O problema não é sonhar - o problema é não realizar.

Precisamos de pessoas que trabalhem com o que gostem, e que não ambicionem somente ganhar dinheiro – a chave do sucesso nunca foi e nunca será trabalhar muito para ser bem remunerado.

O dinheiro, consequência do sucesso, vem através de muito esforço, muita dedicação. E uma pessoa só se dedica de verdade àquilo que acredita. Por detrás de grandes empresas de sucesso, há sempre alguém que sonhou, acreditou e jamais perdeu as esperanças de que poderia dar certo, mas que, principalmente, trabalhou arduamente para que isso acontecesse.

As empresas precisam de menos funcionários procrastinadores, e de mais funcionários realizadores. Não deixar para amanhã o que se pode fazer hoje deveria ser um mantra empresarial. Os resultados não vêm de graça, não acontecem da noite para o dia, então é necessário que a empresa incuta em seus funcionários esta visão.

E você, já parou para pensar o que deixou de realizar hoje?